sábado, 29 de junho de 2013

5 Histórias para Gostar do Homem de Ferro - Parte II

Saudações, fieis leitores! Retorno até vos com mais uma edição da matéria - se é que podemos chamar isso de matéria - com as cinco melhores histórias do volume 1 - pelo menos até a edição 289. A postagem que originalmente iria ocupar este lugar não seria esta, mas devido a uma série de motivos, resolvi deixar o post original para mais tarde e parti para outro grande momento da vida do Vingador Dourado, a épica...


4 - Guerra das Armaduras (Stark Wars/Armor Wars):

Começou em:The Invincible Iron Man v1.#225 (Dezembro de 1987)

Terminou em:The Invincible Iron Man v1.#232 (Julho de 1988)

Roteiro de: David Micheline e Bob Layton e Barry Windsor-Simth (edição 232)

Arte de: Mark Bright e Barry Windsor-Simth (edição 232)

História: Como sempre, faremos um pequeno resumo da ópera. Após um confronto com o vilão chamado Força, e depois de tê-lo ajudado a se livrar de sua armadura e ajudá-lo contra as forças de seu antigo e insatisfeito patrão Justin Hammer, Tony Stark começa a estudar a armadura do vilão - em busca de melhorias que poderiam ser usadas em sua própria armadura - quando descobre que muitos dos circuitos e tecnologias que integram a armadura são idênticos aos seus próprios. Após uma minuciosa inspeção nos seus laboratórios, Stark descobre que o falecido Espião Mestre conseguiu roubar seus projetos de armadura e vendê-los para Hammer, como consequência direta, uma série de vilões estão a solta com a tecnologia do Homem de Ferro em suas próprias armaduras o que torna, de uma maneira indireta, o próprio Tony Stark responsável por todos os inocentes feridos ou mortos por esses vilões. Após rastrear os indivíduos de posse de sua tecnologia, e de desenvolver um aparelho capaz de avariar irreversivelmente os circuitos das armaduras, Tony parte em uma cruzada contra todo e qualquer personagem de armadura do Universo Marvel, o que irá lançar o Homem de Ferro não só contra alguns de seus vilões mais clássicos -  como o Controlador e Dínamo Escarlate - mas também contra agentes do governo  - como Arraia, os Guardiões -, provocar sua expulsão da equipe dos Vingadores da Costa Oeste e fazer o próprio governo dos EUA se voltar contra ele, com consequências terríveis tanto para o Homem de Ferro quanto para  a Stark, pois em todas as guerras são criadas cicatrizes que as vezes jamais se curam.

Motivos para se ler: Vamos primeiro falar do trivial para depois falar o porquê dessa história ser tão épica. Em primeiro lugar, mas não o mais importante, esta é a última grande história a envolver a Centurião de Prata, a armadura vermelha e prateada que o Latinha passou a usar a partir da edição 200 e que marcou o retorno definitivo de Tony Stark ao manto do herói - e a segunda que foi usada por mais tempo em todos esses anos. Em segundo lugar, temos a "participação especial" - e discreta - de um certo Cavaleiro das Trevas e seus Menino Prodígio nas páginas da edição 227 (ou o que parece ser graças a tradução do encadernado recém saído, apesar de isso ser passível de discussão. Pois é, essa eu fico devendo para vocês.). Em terceiro, a história introduz a armadura "Nova Vermelho e Dourada", um retorno ao padrão clássico que seria mantido por muito tempo.
 Agora que o trivial já foi exposto, vamos para a parte mais importante - o motivo de vir falar sobre este arco em particular.



Primeiramente, este trabalho faz parte da segunda leva de histórias de David Micheline e Bob Layton, os melhores roteiristas que o Cabeça de Lata já teve em sua longa história - ao menos na minha modesta opinião - e que foram os realizadores de outras grandes histórias épicas como O Demônio na Garrafa, o confronto em Camelot contra o Dr. Destino, a colossal batalha contra o Hulk, entre outros tantas histórias que fizeram a infância de alguns pessoas e o deleite de tantas outras - só para constar, eu faço parte do segundo grupo. Comentar sobre eles é algo como chover no molhado, então falemos sobre a história. Um dos pontos mais interessantes, ao meu ver, é a maneira como a determinação de Stark é abordada. Desde sua origem, na Tales of Suspense #39, quando um estilhaço de bomba penetrou seu peito e ele se viu forçado a construir uma armadura para permanecer vivo, esta talvez seja a característica mais marcante do personagem - viagens à parte, talvez esse seja um dos motivos para ele ser chamado de Homem de Ferro, a galera das metáforas vai entender... . Aqui ela chega ao seu extremo, levando o herói não só a confrontar o governo, violar fronteiras, como a lutar contra seu amigo de longa data, o Capitão América - que na época se chamava apenas Capitão - e tudo isso guiado por seu senso de responsabilidade devido ao mau uso de sua tecnologia, sua determinação em corrigir um grande erro do qual ele se vê parcialmente responsável e é essa  a alma da história, um homem fazendo o que sabe ser certo, não porque ele quer, mas porque tem que fazer, apesar de tudo e todos. De certa forma, veremos algo muito parecido alguns anos mais tarde na Guerra Civil de Mark Millar onde o Latinha se posicionou a favor da lei de registro, mas isso não é assunto para este post.

 Voltando à narrativa propriamente dita, e chovendo no molhado, a história é fantástica, muito bem elaborada, com cada capítulo tendo a dose certa de ação, drama e suspense, os ganchos entre capítulos são bem posicionados de modo que não há aquele incomodo atraso entre uma edição e outra e, como estamos falando de um material com outro paradigma de qualidade, não somos forçados a acompanhar religiosamente todas as edições para entendermos a história. E a cereja no bolo é, sem dúvidas, o epílogo da edição 232 onde somos à um exame de consciência de Stark diante os acontecimentos da Guerra das Armaduras e, de certa forma, de toda a sua carreira como Homem de Ferro.



















Bom, vou ficar por aqui para evitar falar demais e estragar a surpresa para aqueles que ainda não tiveram a oportunidade de testemunhar a sensacional Guerra das Armaduras. Se você ainda não leu, o que está esperando? Vá atrás desse arco o mais rápido que puder! Mas não antes de dar sua opinião sobre esta post! Caso você tenha lido, comente o que achou a respeito do post mesmo que seja um reles linha!
 Eu vou ficando por aqui, inté a próxima pessoal!